Honmon Butsuryu-Shu – Porto Alegre

“Perfeição não é fazer tudo certo é haver equilíbrio em tudo”

Facções Budistas mais conhecidas no Brasil.

11 Comentários

Budismo Tibetano: O mais falado na atualidade, principalmente após a visita do Dalai Lama, ao Brasil, em 1999. Dos modelos de seitas budistas procuradas essa linhagem é pelo menos uma das mais populares, pois é uma que mais se apresenta, tanto na mídia como em publicações de livros. No Brasil, muitos estudiosos, repórteres, e reprodutores de informações estão fazendo uma grande confusão com o budismo, misturando suas facções e tratando-as como se fossem uma só.
O Nome Dalai Lama foi concedido por um Rei Mongol em 1578. O Dalai Lama é considerado o “Buda Vivo”, ou seja, a reencarnação do próprio. O atual Dalai Lama é o 14° e encontra-se exilado na Índia. Recebeu o Prêmio Nobel da Paz e, depois disso, ficou famoso mundialmente. Hoje em dia, em larga escala, vendem-se livros de sua autoria.
História: Em 1950 os chineses começaram a invadir o Tibet; saqueando e arrasando milhares de templos e mosteiros budistas no interior do país. Os invasores destruíram então, no mínimo, os sinais da antiga religião, cujos fiéis buscaram, durante cerca quinhentos anos, sua liderança espiritual em apenas uma figura, o homem-deus conhecido como Dalai Lama.
Doutrina: O budismo chegou ao Tibet em meados do século VII.
Desde o início tem mudado os Sutras os quais tem como referência. Divide suas abordagens em Mundo dos fenômenos, Tempo e Espaço. Prega a ignorância como causa dos sofrimentos e a ausência do ego e o espírito de vacuidade como forma de libertação e iluminação. Pela influência do monge Zen chinês Makuen possui um perfil “Zen”, entretanto, tende mais à filosofia do “Caminho do Meio” (Tyuugan). Em 1409, realizou o que o budismo na Índia sempre idealizou. Unificou as três linhas de budismo (Mahayana,Nihayana, Tântrico) chamando de Budismo Ortodoxo Tibetano. Em 1642, quando oficialmente o Dalai Lama tornou-se Chefe de Estado, esta religião também se tornou a religião oficial do País.
Objeto de Veneração: Se o Buda está vivo, e é o próprio Dalai Lama em carne e osso, então, não há porque buscar outro “ser” para se venerar. Ao que se supõe a alma de Avalokitesvara (Kannon Bossatsu) habita a alma de cada Dalai Lama. Todos esses significados repousam no dogma milenar do budismo tibetano referente à reencarnação.

Zen: Século VI. Seu fundador foi o famoso Daruma ou Engaku Daishi como também é chamado. Da Índia emigrou à China e tornou-se fundador do Zen budismo chinês, modelo conhecido no mundo da atualidade. Estabeleceu-se no monte Suuzan, voltado para uma parede de pedra, durante 9 anos, meditou em total silêncio. Seu sexto sucessor Enou e Shinshuu estabeleceram duas Grandes linhas Zen. A Zen do Norte e Zen do Sul (Nortista e Sulista), a partir disso o Zen ainda sofreu outras ramificações como as três mais tradicionais linhas: Rinzai.
Soutou e Oubaku. O Zen, por si só, não simboliza nenhuma religião em específico.
Há de se perguntar: “Zen? Mas de qual linhagem?” Caso contrário não se saberá o quê e como fazer, nem como fundamentar. O estilo introspectivo, tranqüilo e calmo, que o faz buscar forças nas profundezas do interior de sua própria mente fez os ocidentais, sedentos por algo deste tipo, adotarem e hoje fazer da meditação uma prática conhecida mundialmente.
Doutrina: Abomina todo o tipo de Sutra e escritura religiosa dizendo que o próprio Buda não se encontra nas letras escritas, mas sim no seu espírito e mente (ao dizerem isso, estão se colocando acima até mesmo das próprias Palavras Douradas de Buda)”Furyuu Mondi, Kyougue bettden” .Entretanto, contraditoriamente, é uma das facções em que mais se lê e estuda a respeito das literaturas budistas. O Objetivo principal de qualquer tipo de meditação Zen é buscar, dentro de si, a sua natureza búdica. (Kenshou Dyoubutsu). Ao encontráIa, exatamente ela será a sua própria iluminação.
Objeto de Veneração: Não tem. Busca venerar seu Buda interior. Mas, não sendo um objeto (ponto externo de referência) não pode se considerar como “Objeto de adoração ou veneração” . Não havendo ponto de referência dificulta a prática. Se a própria mente, sozinha, fosse capaz de nos conduzir ao caminho supremo, não haveria o por quê da religião. Ao mesmo tempo em que ela se fundamenta, também se desfundamenta. Religião considerada pelo Buda como ideal a ser praticada até a chegada da era mappou e adequada a seres altamente intelectualizados (o que não nos diz respeito).

Soutou-Shu e Rinzai-Shu: Seguem os mesmos princípios do Zen com pequenas diferenças, doutrinárias e práticas, que as distinguem.

Jyoudo-Shu: A crença na Terra Pura surgiu no século III aC. No Japão o mestre Hounen (1133-1212) seguindo os ensinos de Zendou da China estabeleceu a Religião da Terra Pura. Hounen, apesar de estudar no monte Hiei (Grande faculdade de monges budistas da época) a doutrina do Sutra Lótus, limitou-se à parte do caminho provisório e por isso concluiu que a difícil prática do Sutra Lótus não era viável para nós. Acabou adotando a prática do Nenbutsu.
(Prática da oração do nome de um Buda transitório, Amida. Oram Namuamidabutsu). Pregou que todos os ensinamentos, de todas as outras religiões, deveriam ser abominados e que deviam se entregarem unicamente à prática do Nenbutsu.

Doutrina: Sutras: Muryoudyukyou.
KanMuryoudyukyou e Amidakyou.
Objeto de Veneração: Buda Amida. Buda tido como regente do mundo paraíso (Gokuraku) localizado na direção oeste. Desprezam a importância deste mundo onde vivemos quando almejam simplesmente renascer na Terra Pura. O princípio básico budista como o esforço não é reconhecido nesta forma de busca.

Jyoudo-Shinshu: Tem como fundador o mestre Shinran (1193-1263).
Era discípulo de Hounen, fundador da Jyoudo-Shu. O Nome Jyoudo Shinshu é uma afronta a Jyoudo-Shu, pois significa “Verdadeira Jyoudo-Shu” (Jyoudo=Terra Pura). Shinran disse sempre ter seguido os passos do mestre, mas, por fim, acabou criando uma outra facção, apenas diferenciando as doutrinas a serem adotadas.
Doutrina: Enquanto Hounen baseado no KanMuryoudyukyou adotou a prática restrita à oração do Nenbutsu, Shinran fundamentou-se no sutra Muryojyukyou e estabeleceu sua prática centrada nas 18 preces do Buda Amida.
Sua postura de que deveria depender unicamente da Força Alheia (do Buda Amida) era definitiva. Comparado a Jyoudo-Shu possui um caráter mais dependente, ou melhor, totalmente dependente da divindade. Entretanto, ambas não salientam a importância do esforço pessoal.
Objeto de Veneração: Buda Amida.

Higashi Honganji e Nishi Honganji: São ramificações desta JyoudoShinshu e, basicamente, seguem o mesmo estilo de doutrina. Nota-se, com freqüência, que os sacerdotes das facções da Terra Pura, muitos deles, têm uma profissão paralela ao sacerdócio, fazendo o sacerdócio parecer uma atividade secundária em suas vidas.
Nitiren-Shu: Ostenta como nome da religião o nome do próprio Grande Mestre (Religião de Nitiren) . Entretanto, se esquece de que o próprio Grande Mestre cita: “Eu, Nitiren não sou fundador de nenhuma religião”. Estabeleceuse logo após o falecimento do Grande Mestre. Sua matriz localizada em Kamakura, Minobu é onde Nitiren Daibossatsu passou os últimos anos de sua vida onde se encontra seu Jazigo. Dos seis mais destacados discípulos Nitikou acabou ficando em Minobu Kuonji dando seguimento a Nitiren-Shu enquanto que Nikkou desceu a montanha e aos pés do monte Fuji estabeleceu outra nova linhagem chamada Nitiren Shoushu.
O nome Nitiren Shoushu já caracteriza a desavença que ocorreu entre as duas. Ou seja, ao pé da letra significa:
Religião Ortodoxa de Nitiren.
Doutrina: Segue o Sutra Lótus pregado por Nitiren, mas, não diferencia Honmon (Caminho Primordial 15-28 cap.) de Shakumon (Caminho Provisóri01-14cap.) .
Objeto de Veneração: Ostentam a Imagem do Buda Histórico ou um Mandala representando os Dez Mundos ou Um Honzon do Odaimoku.

Nitiren-Shoushu: Fundada por Nikkou. Logo após o falecimento do Grande Mestre os seus mais destacados discípulos criaram um sistema de rodízio para zelar do Jazigo. Por desentendimento com Nitikou, Nikkou desceu a montanha e, aos pés do monte Fuji, estabeleceu outra nova linhagem chamada Nitiren Shoushu. A discórdia entre os dois teve cunho principalmente doutrinário, daí originando-se duas novas linhagens de Nitiren. A Souka Gakkai possui história idêntica, pois se originou de dentro da Nitiren Shoushu como um grupo de leigos. Entretanto, por problemas de ordem política, e administrativa, as duas acabaram, depois de muito tempo, separando-se. Enquanto que a Nitiren Shoushu é mais tradicionalista, a Souka Gakkai é mais agressiva e expansionista. Educa seus adeptos a dizerem “Seu Gohonzon é falso” quando vêem outros Gohonzons de outras religiões, pois acreditam que Nitiren deixou um Único Gohonzon universal somente para eles. Entretanto, isso não consta em nenhuma escritura e esta teoria já foi refutada há muito tempo, tanto cientificamente quanto religiosamente.

História: A Souka Gakkai se fortaleceu tanto que começou a dominar a Nitiren Shoushu que exercia o poder sobre a concessão de Gohonzons e sacerdotes.
(Na Souka Gakkai não há sacerdotes, apenas na Nitiren Shoushu). Mesmo assim, após conflito interno houve a separação. A Souka Gakkai, além de religião, paralelamente possui um partido político no Japão e, de um certo modo, com todas as forças se utiliza da religião para dar manutenção ao partido (Koumeitou). Por motivos políticos, o então presidente da Souka Gakkai, Daisaku Ikeda, desviou várias culturas tradicionais da Nitiren Shoushu gerando grande desavença interna entre as duas facções. Os conflitos religiosos fazem parte dos jornais japoneses.
Doutrina: Tanto a Nitiren como a Souka Gakkai seguem linhagem distinta da Nitiren -Shu. Ambas, entre si, tomam seguimentos distintos, mas em suas pregações não se diferem muito. Adotam as Escrituras de Nitiren e seguem o Sutra Lótus. Entretanto, não os Oito Capítulos do Capítulo Primordial como ensina o Grande Mestre.
Objeto de Veneração: Consideram o Nitiren Daibossatsu como o próprio Buda Primordial. Devido a isso, deturpam a devoção do próprio Grande Mestre ao Buda. A nobreza de Nitiren Daibossatsu se encontra justamente no fato de seguir piamente sua missão lhe foi concedida pelo Buda Primordial como Jyougyou Bossatsu.
Ao deturparem essa imagem de Nitiren Daibossatsu desvalorizam todo o esforço feito pelo mestre ao direcionar sua devoção ao Gohonzon do Buda Primordial.

Bibliografia: Bukkyou Jiten. Ed. Iwanami. 1989. Nakamura Hajime. Gendai Shuukyou Haya wakari. Shuumu Hontyou. 1987. ISTOÉ. Maio 2001.Ed.Abril. Shinshuukyou Jiten. Ed. Tokyodou Shuppan. 1984. Matsuno Koujyun. Coleção: Mistérios do Desconhecido “Viagens Psíquicas” Ed. Abril. 1992. p.120

Autor: Honmon Butsuryu-Shu

Blog para divulgação do Budismo Primordial da HBS - Honmon Butsuryu-Shu em Porto Alegre, RS - Brasil. Nosso Twitter @HBS_PortoAlegre

11 pensamentos sobre “Facções Budistas mais conhecidas no Brasil.

  1. Pingback: As críticas em relação ao Budismo de Nitirem | Honmon Butsuryu-Shu – Porto Alegre

  2. Vc não sabe o que diz, o presidente Daisaku Ikeda preocupa-se em propagar a paz pelo mundo e não com partidos politicos e muito menos ensina os adeptos a fazerem comentários ou observações maldosas a respeito de outras religiões.

    • Arigatougozaimassu Cleonice.
      Muito obrigado por ler os Posts e agradeço muito o seu comentário e desculpe a demora para responder seu comentário.
      Mas o que eu expresso aqui no Blog é a minha visão e opinião que formei nesses anos que pratico o budismo.
      Como pode ler no Post, SIM eu fiz parte da BSGI participei de reuniões, frequentava o Kaikan fazia como faço até hoje as orações matinais e da noite e recebi o Gohonzon.
      Quando me afastei da BSGI levei esses questionamentos aos dirigentes e me foi dito que esse era o sistema, então resolvi me afastar de vez e procurar o caminho que achava mais correto.
      Em relação ao comentário sobre outras religiões oque você ouve na Gakkai em relação ao clero da Shoshu? Nunca ouviu nada? nada mesmo? E sobre a Tendai??? Se nunca ouviu pergunte aos veteranos do seu Bloco ou aos seus dirigentes? Mas isso eu nem mencionei nesse Post!
      Leia o Post novamente e veja que o que eu escrevi foi apenas a minha experiência na Busca do Budismo em que me encontrei. E em momento algum desrespeitei seu Sensei.
      Por favor leia novamente e me informe aonde você leu que a BSGI “ensina os adeptos a fazerem comentários ou observações maldosas a respeito de outras religiões.”
      Até hoje recebo visita de membros da BSGI em minha residência que são meus amigos e me visitam e alguns concordam com muitas coisas que digo.
      Muito Obrigado e sempre que quiser sinta-se a vontade e comente em nosso Blog.
      Arigatougozaimashita.

  3. Desculpe-me colega, é que não entendi então o que vc quiz dizer qdo escreveu que a Soka Gakkay educa seus adeptos a dizer “seu gohonzon é falso” pratico o budismo desde pequena (+ou- há 40 anos) e não vejo exemplo melhor de lider a seguir como o do Presidente Ikeda que nos ensina sim, a prezar e respeitar cada ser humano pois todos possuem o estado de buda.

    Até mais…

  4. Oi meu amigo sou membro da Gakkai, não concordo muito com a forma como a Gakkai é mostrada, sei lá parece que a Gakkai incomoda tanto todo mundo, não sei porque, lendo as orientações e discursos do Presidente Ikeda fico sem entender todo esse fascínio em desmoralizá-lo ou atacá-lo ele só fala para o bem, ele visa mostrar baseado nos ensinos de Nitiren a conduzirmos uma vida de transformação, vitória e etc, poxa vida quem não quer ser vitorioso? Então vamos viver a vida de hoje em dia fechando os olhos para nosso desenvolvimento, nossos anseios e desejos? Sabe amigo eu sou budista porque o budismo me deixa ser humano, no dia em que ele me tirar isso eu largo essa prática, então querer ser melhor, não melhor que seu irmão, mas melhor pra si mesmo, melhor pra transformar não vejo mal algum nisso, Nitiren veio provou sua tese, os que depois dele continuaram e que deturparam muito do que ele disse, mas eu humildemente pergunto, Nikko que o acompanhou desde os 12 anos de idade, que o acompanhou em exílios, a quem Nitiren delegou a continuidade (embora outros budismos Nitiren, contestem o testamento delegando a Nikko a sucessão) não seria ele quem realmente Nitiren teria instruído em dar continuidade a seu ensino pos mortem? A Gakkai não concorda com a Nitiren Shoshu, porque a Gakkai está ligada diretamente ao coração de Nitiren, não tem que haver intermediários, a fé é a herança vital da lei, então porque achar que reverendos ou monges são mais dignos ou menos dignos por serem clero? Isso não existe, ligue-se pela fé, não por ritos ou convenções, afinal no fundo são todos homens, apenas humanos. Obrigado por me permitir expressar minha opinião. Atenciosamente, Edson

    • Arigatougozaimassu,
      Olá Edson, sincermente não estou tentando desmoralizar ninguém,muito menos atacar apenas expressei no Blog o que pude ver na BSGI de Porto Alegre. Sim, fiz parte da Gakkai, recebi meu Gohozon ou melhor paguei por ele como deve ter feito também.
      Fiquei descontente com diversas atitudes que pude presenciar, até fiz uma reclamação no 0800 da BSGI de São Paulo quando fiz a solicitação do meu desligamento.
      Aqui só escrevi o que senti em relação a entidade e não a religião, ainda tenho muitos amigos na Bsgi que frequentam minha casa, entendem e respeitam minha visão, mesmo provavelmente discordando da minha forma de pensar.
      Agradeço de coração por seu comentário e seja sempre bem vindo ao Blog e continue firme na sua prática.
      Arigatougozaimashita.

      • Você é um cavalheiro, respeito sua opinião e sua abertura em conversar sobre pontos diferentes, o que dignifica um budista é a capacidade de dialogar parabéns pelo seu espírito, lembre-se a Gakkai é uma organização e como tal está longe de agradar a todos e por ser tão grande ela precisa usar de métodos senão vira meio que bagunça cada um querer satisfazer o seu jeito, a sua vontade ou mesmo seu ideal de grupo religioso, você ter se decepcionado com a Gakkai com as pessoas tudo bem normal isso, mas não deixa isso confundir com o ensino não ok? Obrigado pelo espaço, parabéns pelo blog, seja muito feliz!

      • Arigatougozaimassu,
        Edson, obrigado pelas palavras e posso dizer o mesmo de você. Sempre que tiver alguma crítica ou sugestão participe,será de grande ajuda. Um grande abraço e que o Gohonzon lhe conceda muitas alegrias.
        Arigatougozaimashita.

  5. Aff! Impressionante como a Gakkai incomoda! Percebi que o autor ao fazer uma leitura da Gakkai demonstrou bastante sentimento de ira. Mas não é a Gakkai que diz que o Gohonzon de outras escolas é falso, é a Nitiren Shoshu que diz que o Mandala da Gakkai é falso!

    • Arigatougozaimassu,
      Olá Júnior,
      Se ler os outros comentários, verá que já comentei sobre isso.
      Não tenho “sentimento de ira”, confesso que tenho saudades de alguns aspectos da BSGI, apenas não concordo com algumas coisas ( levei isso aos dirigente ).
      Tenho muitos amigos na BSGI, com os quais tenho intimidade e freqüentam minha casa, que respeitam essa minha visão.
      O texto expressa a minha opinião em relação ao que vi e verifiquei durante minha busca ao budismo que mais me
      enquadrei.
      Muito obrigado por sua participação e fique a vontade para comentar sempre que quiser.
      Grande abraço.
      Arigatougozaimassu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s